sábado, 8 de janeiro de 2011

Odeio mestres, Odeio obras

Vivo numa zona ainda em construção. Mudei-me há três anos e meio e já na altura avisaram-me que esta zona iria continuar em construção por cerca de mais sete anos. Ora, já vamos a meio caminho e, após dois blocos de apartamentos construídos, ainda restam mais dois buracos onde construir. Só isto já faz com que esta zona esteja sempre cheia de obras, mestres, carrinhas, camiões e barulho, muito barulho. Para piorar ainda mais o cenário, o espaço comercial, que fica mesmo por baixo do meu apartamento, entrou em obras há duas semanas e desde aí o caos instalou-se. No início, estava a passar uns dias em casa dos meus pais, por isso não me incomodou, mas desde há uma semana que voltei a casa e já estou cega que não vejo obras, ou pó de cimento nos meus móveis, ou cheiro de cimento em casa, mestres a falar e, pior que tudo, o barulho das máquinas e do berbequim. Ai o berbequim!!! Que eu estou capaz de ir lá baixo e pegar naquele berbequim e dar pela cabeça abaixo dos mestres. Todos os dias, sem excepção, logo pela fresca, às 8h da manhã, é rise and shine que já são horas de acordar. Hoje, sábado, eu estou em casa de folga (uma raridade) e antes das 9h já estávamos acordados e pouco depois já os dois a pé. Eu até poderia pensar "bem já agora aproveito e estudo". E o sossego para isso? Parece que a broca está a furar a minha cabeça. Que raiva! Vou descobrir onde moram os mestres e vou fazer-lhes o mesmo amanhã logo pela fresca, no único dia de folga que têm. A ver se gostam!!! Grrrrrrr!!!!

2 comentários:

CoriscaRuim disse...

Como te compreendo...Quando comprei a minha casa, a casa da vizinha entrou em obras...Todos os dias, pelas 8 da matina, era de pneumático nas paredes...
Toda a cama estremecia a paciência esgotava e eu andava louca de todo!

Jessica disse...

Que horror... detesto barulho! Onde vivo tem um café à frente da minha casa... há dias que é um inferno! Parece que não sabem que estão numa rua com casas, com que gente que quer dormir. O pior dia foi quando vieram discutir dívidas de drogas à frente da minha casa, às 3 da manhã. Please... -.-